[ONLINE] Universidade de Aveiro, Portugal

21, 22 e 23 de outubro de 2020

Performar o Poder Generificado: Discursos Mediáticos Sobre Angela Merkel em Tempos de Crise

Rita Himmel
Maria Manuel Baptista

Angela Merkel é uma figura colocada num ponto de intersecção particularmente propício à compreensão da interação entre as categorias de poder e género, sendo a líder, há quinze anos, de um dos países mais poderosos da Europa, numa altura marcada por uma sucessão de crises na U.E., e, ao mesmo tempo, sendo uma das poucas mulheres* nesta situação de poder. Este artigo propõe uma exploração das representações mediáticas sobre Angela Merkel em dois órgãos de comunicação social portugueses, em momentos eleitorais chave entre 2011 e 2017. Através de uma análise qualitativa (Bardin, 2007) destas representações, pudemos identificar três enquadramentos, que interagem e se conjugam entre si, demonstrando a utilidade de abordagens empíricas interseccionais (Hancock, 2007): género, poder e origem nacional.

Palavras-chave: Género, Poder, Angela Merkel, Interseccionalidade